Incidência de lesões por pressão em unidade de terapia intensiva

Autores

  • Alisson Junior dos Santos Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG Unidade Passos

Palavras-chave:

Lesões por Pressão; Unidades de Terapia Intensiva; Incidência.

Resumo

As Lesões por Pressão (LPP) constituem um problema de saúde pública de grande magnitude, representando um importante agravo para pacientes acamados, e especialmente em pessoas idosas e com doenças crônico-degenerativas. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo, retrospectivo e documental com pacientes internados na unidade de terapia intensiva (UTI) de um hospital filantrópico acreditado do interior de Minas Gerais, no período de 2015 a 2017, com o objetivo de analisar o perfil de incidência de lesões por pressão. Os dados foram coletados por meio de fichas de monitoramento de riscos referentes à incidência de lesões por pressão na unidade. Obteve-se que 57% dos pacientes caracterizaram-se do sexo masculino, 60,6% na faixa etária maior ou igual a 60 anos, o tempo média de permanência na unidade compreendeu 8 a 9,7 dias. Houveram no período um total de 3113 internações e foram identificadas a ocorrência de 66 lesões por pressão, tendo como predominância de localização anatômica a região sacral (40,9%) e glútea (28,8%), sendo que os casos de lesões por pressão corresponderam a incidência total de 2,12%. O estudo evidenciou baixa incidência de lesões por pressão nos pacientes da unidade de terapia intensiva avaliada, levando-se em consideração o referencial de estudos internacionais e nacionais.

Downloads

Publicado

2019-11-28