Notícias Faculdade Atenas - Passos (MG)

Câncer de colo de útero


O mês que celebra o Dia Internacional da Mulher traz também a oportunidade de chamar a atenção para ações de prevenção em saúde junto ao público feminino. Uma das doenças com expressiva incidência nas mulheres é o câncer de colo de útero, tema trazido pelo professor Elder Francisco Latorraca, docente do curso de Medicina da Faculdade Atenas-Passos, que possui doutorado em Ciências pelo Departamento de Cirurgia e Anatomia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto -SP, da Universidade de São Paulo (USP).

Definição e causas

“O câncer de colo de útero, também conhecido como câncer cervical, é um acometimento patológico em que há um crescimento anormal e descontrolado das células dessa região”, explica o professor Elder. Os dois tipos mais comuns desse câncer são o carcinoma epidermoide e o adenocarcinoma, sendo o primeiro deles o mais frequente. 

Segundo explica o docente, a principal causa do câncer de colo de útero é a infecção pelo vírus HPV, transmitido no ato sexual. O vírus passa a habitar a cérvix uterina e cria espécies de verrugas em sua superfície. Os sintomas do câncer cervical envolvem dor pélvica constante, corrimento ou sangramento vaginal, também constantes e mesmo durante o ato sexual, dor nas pernas e dor nas costas. 

O professor Elder Latorraca explica que, como a principal causa do câncer cervical é a infecção por HPV, transmitido no ato sexual, o principal fator de risco é a prática sexual desprotegida, ou seja, sem preservativo. “Outros fatores devem ser considerados, como o início muito precoce da vida sexual, a multiplicidade de parceiros sexuais, a obesidade, o tabagismo e o histórico familiar”, acrescenta.

Diagnóstico e prevenção

“O diagnóstico da doença será feito a partir do levantamento dos sintomas pelo ginecologista e em exames, principalmente o preventivo ‘Papanicolau’, que deve ser feito uma vez por ano, por todas as mulheres”, alerta o docente. Outros exames que podem ser realizados são a vulvoscopia, a colposcopia e, se necessária, a retirada de uma biópsia para análise patológica.

Órgão do sistema reprodutor feminino, o útero, possui o formato de uma pera invertida. Sua parte superior, mais dilatada, é chamada de corpo, e sua parte inferior, afunilada, é a cérvix uterina, que se conecta diretamente com o canal vaginal. “Essa ligação direta, inclusive, facilita muito a observação da área nos exames ginecológicos de rotina”, observa o professor Elder.

A prevenção do câncer de colo de útero se baseia no uso de preservativos durante o ato sexual, bem como a vacinação contra o vírus HPV, que é amplamente distribuída no Brasil, além de vida saudável, não-obesidade, não-tabagismo e prática regular de atividades físicas.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) revelam a importância da conscientização sobre o câncer de colo de útero: em 2020, estimam-se 16.590 novos casos no Brasil. Em 2017, 6.385 mulheres morreram em decorrência do câncer de colo de útero. “Assim, a conscientização sobre as formas de prevenção e a procura por diagnóstico e tratamento especializado, o quanto antes, ajudam a diminuir os números de novos casos e a aumentar o número de casos com sucesso na cura”, ressalta o professor Elder.