Visualizar Notícias - UniAtenas Passos

Notícias Faculdade Atenas - Passos (MG)

Conectados com o Professor - Saúde Bucal


Em 20 de março, é lembrado o Dia Mundial da Saúde Bucal, instituído pela Federação Dentária Internacional (FDI), como forma de chamar a atenção da população para os cuidados preventivos com a boca e os dentes.

A Profª. Mestre Cíntia Bueno de Paula, cirurgiã-dentista e coordenadora do curso da Faculdade Atenas Passos, elaborou as principais perguntas e respostas sobre o tema. Confira:

1)    Qual a importância de manter uma boa higiene oral?

•    É preciso cuidar da saúde da boca, pois dela depende a nutrição do organismo. Além disso, estudos científicos comprovam que a saúde bucal tem íntima relação com a saúde geral, pois a boca interage com todas as estruturas do corpo. 

As más condições de higiene bucal podem causar doenças bucais, que, por sua vez, podem levar a enfermidades (ou agravá-las), principalmente doenças cardiovasculares e diabetes. Há vários estudos que relacionam a doença gengival, que acomete boa parte da população, com a doença de Alzheimer, inclusive. 

2)    Quais são as doenças bucais mais diagnosticadas? Como reconhecer e tratar tais doenças?

•    Cárie dentária:  Em um primeiro momento, a cárie pode não apresentar sintomas. Um pouco depois de desenvolvida aparecem os primeiros sinais: as manchas brancas que, a partir daí, são seguidas por outras manifestações, como sensibilidade ao mastigar e ingerir alimentos gelados, quentes e doces. Depois essas manchas brancas passam a obter uma coloração mais amarronzada. Pode haver retenção de alimentos entre os dentes, fazendo com que o uso do fio dental desfie quando utilizado. O mau hálito e a dor também podem surgir como sintomas. O tratamento é realizado a partir da consulta com o dentista, que irá avaliar a condição e o estágio em que essas manchas estão. O tratamento pode ser através de métodos e produtos para remineralizar essas manchas brancas e, quando não forem mais possíveis, a remoção de todo o tecido infectado e amolecido, e a reparação, utilizando as restaurações para reconstruir a estrutura perdida.

•    Doenças da gengiva: Temos inicialmente a gengivite e depois a periodontite, que é a evolução da gengivite. A periodontite é a forma mais agressiva da doença. Os sinais para se observar são: gengivas muito avermelhadas ou arroxeadas, sangramento durante a escovação, sensibilidade ao tocar nas gengivas, dentes amolecidos, gengivas inchadas, paladar alterado e a percepção de que os dentes estão mais longos. O tratamento da gengivite consiste em realizar limpezas (profilaxias) e utilização de solução enxaguante bucal (se o dentista indicar), e claro, a instrução de higiene adequada. A periodontite não tem cura, mas seu tratamento consiste em realizar as raspagens e as manutenções (terapia de suporte) segundo o seu dentista indicar (terapia periodontal básica), e a fase cirúrgica, caso houver necessidade.

•    Lesões bucais (câncer): Podem ser observadas algumas lesões na cavidade bucal ou nos lábios que não cicatrizam há mais de 15 dias. Manchas avermelhadas ou esbranquiçadas na língua, bochechas, gengivas e céu da boca (palato), nódulos no pescoço, rouquidão persistente, dificuldade para mastigar ou engolir, limitações de fala etc. O tratamento para estas condições inclui remoção cirúrgica, e em alguns casos quimioterapia e radioterapia podem estar indicados.

3)    Quais doenças podem partir de maus cuidados bucais?

•    Câncer bucal, endocardite bacteriana, diabetes, parto prematuro, pneumonia, artrite reumática etc. O fato é que a boca diz muito sobre nosso estado geral de saúde.

4)    Como a má higiene bucal ou a falta dela podem contribuir para quadros de infecções contagiosas?

•    A própria cárie é uma doença infectocontagiosa. O indivíduo que apresenta má higiene bucal está apto a desenvolver a doença cárie e pode também contaminar outros indivíduos através de compartilhamento de objetos como talheres, copos e até mesmo do próprio beijo. Através da corrente sanguínea, as bactérias da boca podem chegar a outros órgãos, como os pulmões e as articulações, causando infecções como a pneumonia e a artrite reumática. 

A boca não pode ser tratada isoladamente, tanto a saúde bucal é de fundamental importância para a saúde geral do nosso organismo, quanto o estado sistêmico do paciente pode afetar as condições da boca. 

A boca tem uma ligação direta com o nosso organismo, e sob este prisma, é perceptível que quando ocorre qualquer tipo de deficiência bucal, ela pode repercutir nos vasos sanguíneos, assim como em outros órgãos do ser humano que visivelmente não têm ligação direta com os dentes. 

Desta forma, o indivíduo precisa ser avaliado em seu contexto íntegro em todas as fases do tratamento odontológico, e não somente em parte dele, nem observando-se apenas a questão odontológica separadamente.

5)    Como prevenir as doenças bucais?

•    A correta higienização bucal é imprescindível. O uso do fio dental, a escova dental correta e as visitas regulares ao seu dentista, que são ações simples, mas que são essenciais para se prevenir estes problemas. Cuidar da alimentação e evitar hábitos nocivos – tabagismo e alcoolismo, por exemplo - também são condutas importantes.

6)    Como fazer uma boa higiene oral?

•    A higiene oral é um conjunto de práticas que garantem a saúde dos dentes e da gengiva, favorecendo um sorriso saudável e um hálito puro. 

As recomendações são:

•     Utilizar creme dental com flúor todos os dias; 

•     Enrolar cerca de 40 cm de fio ou fita dental entre os dedos;

•     Levar o fio ou fita dental até o espaço existente entre a gengiva e o dente e pressione sobre o dente, puxando a sujeira até a ponta do dente;

•     Passar o fio dental pelo menos duas vezes em cada um dos espaços entre os dentes, primeiro pressionando para um lado, depois para o outro;

•     Posicionar a escova inclinada na direção da gengiva e faça movimentos de cima para baixo, nos dentes de cima, e de baixo para cima, nos dentes de baixo, como se estivesse ‘varrendo’ os dentes;

•     Escovar a parte interna de cada dente da mesma forma;

•     Escovar a superfície dos dentes que usamos para mastigar. O movimento é suave, de vaivém. A escova deve ir até os últimos dentes do fundo da boca;

•    Escovar a língua também é muito importante, pois ela acumula restos alimentares e bactérias que provocam o mau hálito. Faça movimentos cuidadosos com a escova ‘varrendo’ a língua, da parte interna até a ponta;

•     Evitar o consumo de açúcar, isso também contribui para uma boa saúde bucal.