Conhecimento acerca da escala de Cincinnati entre acadêmicos de medicina, enfermagem e agentes comunitários de saúde da atenção primária

Autores

  • Leonardo Queiroz Lopes UniEVANGÉLICA

Palavras-chave:

Acidente Vascular Cerebral. Serviços Médicos de Emergência. Estratégia Saúde da Família.

Resumo

A Escala de Cincinnati é utilizada para detecção do Acidente Vascular Encefálico, uma síndrome neurológica súbita com manifestações clínicas cognitivas, sensoriais e/ou motoras. Consiste na identificação precoce da doença em ambiente pré-hospitalar, mediante três parâmetros ectoscópicos que estão presentes na maioria das vítimas: assimetria facial, paresia em um ou ambos os membros superiores e alterações na fala sugestivas de afasia, fala monótona ou arrastada. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, transversal e com abordagem quantitativa, realizado em um município do interior de Goiás com 121 estudantes de medicina, 130 de enfermagem e 35 agentes comunitários de saúde atuantes na atenção primária em janeiro de 2018. Utilizou-se questionário semiestruturado e análise estatística descritiva simples. Observou-se que o conhecimento sobre a escala restringia-se a 68,18% e 31,81% de estudantes de medicina e enfermagem, respectivamente. Quanto aos agentes de saúde, nenhum dos entrevistados reconheceu a existência do instrumento. Nota-se, dessa forma, a baixa divulgação do método entre as categorias avaliadas. A implicação dos dados sugere a necessidade de discussão da temática no cenário estudantil e prático assistencial, além de educação continuada aos agentes de saúde, sobretudo pela significância clínica e epidemiológica da doença.

Downloads

Publicado

2019-11-28