Visualizar Notícias - UniAtenas Passos

Notícias Faculdade Atenas - Passos (MG)

Conectados com o Professor - Promoção da Saúde da Família no contexto da pandemia


Promoção da Saúde da Família no contexto da pandemia

O enfrentamento à pandemia da Covid-19 e suas consequências é um grande desafio para a sociedade. Os riscos físicos da doença e os impactos emocionais e financeiros causados pela exigência de distanciamento social criam novas demandas de atendimento em saúde.  

Neste contexto, as ações da Estratégia de Saúde da Família assumem um papel importante, já que atuam como porta de entrada para o SUS, oferecem atendimento multiprofissional e têm como premissa a busca da saúde integral. 

“Primeiramente, devemos enfatizar o que é saúde. Muitas vezes as pessoas pensam que não ter doença significa ter saúde. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde corresponde ao bem-estar físico, mental e social. Assim, todas as ações têm que se voltar nesse sentido”, esclarece o Dr. Rafael Costa Pereira, Médico de Família e Comunidade e docente no curso de Medicina da Faculdade Atenas Passos.

Conforme explica o médico e professor, as unidades de saúde possuem equipes com médico, enfermeiro, nutricionista, psicólogo, assistente social, entre outros, para que os pacientes recebam os cuidados de saúde integral. Além disso, cada unidade busca compreender e solucionar de modo personalizado as questões mais graves na sua respectiva área geográfica. 

“Por exemplo, uma localidade onde há alto índice de enfarte ou AVC, ou meninas grávidas muito cedo, ou questões de grande vulnerabilidade social, com população abaixo da linha da pobreza, ou ainda vítimas de maus tratos domésticos. Tudo isso compõe um quadro de saúde naquela localidade e, assim, cada unidade de saúde deve atuar de forma diferente”, afirma o Dr. Rafael.

Para a efetividade da Estratégia de Saúde da Família, é importante que a população compareça regularmente à unidade básica de saúde. “Queremos que as pessoas evitem a doença, então temos que conhecer sua situação, seus hábitos, a fim de prever riscos e evitar complicações futuras”, diz o médico.  Ele aponta o problema comum de pacientes que fazem automedicação, ou que interrompem uso de medicação sem orientação médica e que, quando procuram atendimento, podem já se encontrar em situação grave.

Outro fato que se observa comumente é que pacientes do sexo masculino são menos frequentes em procurar atendimento médico, muitas vezes por preconceito. Para estimular que os homens compareçam às unidades de saúde, muitas vezes são disponibilizados horários de atendimento noturno, fora do expediente dos trabalhadores. 

“Em geral, os homens só procuram serviço de saúde quando já há um problema, quando a saúde já está debilitada. Os homens podem e devem buscar regularmente os serviços de saúde para prevenir as doenças mais comuns na nossa população, como diabetes, hiperglicemia ou doenças cardíacas”, alerta o Dr. Rafael.

Com a pandemia e o medo do contágio, muitas pessoas deixaram de fazer o acompanhamento regular nas unidades básicas de saúde, o que é um risco. “Pacientes com tratamento contínuo como cardiopatas e hipertensos não podem ficar sem acompanhamento médico, com risco de agravamento das doenças, assim como as gestantes que devem ter todos os cuidados na fase pré-natal. Por isso, devem agendar seus atendimentos que serão feitos dentro de toda a segurança necessária de combate à covid-19”, adverte o médico. 

Aos estudantes de Medicina, o Dr. Rafael sempre orienta que, independentemente da área ou especialidade em que escolham atuar, é necessário que esteja enraizado o conceito de promoção da saúde. Aliado às possibilidades modernas de diagnóstico e tratamento, o processo de conhecer o paciente, sua realidade de vida e suas angústias, além de conquistar sua confiança, são fundamentais para essa promoção da saúde. 

Para a população, o Dr. Rafael reforça a importância dos cuidados preventivos de saúde que são oferecidos nas unidades para todas as fases de vida: desde antes do nascimento, passando pelo atendimento das crianças e jovens, até a fase de adultos e idosos. 

“Na situação da pandemia, é também sempre importante alertar para a necessidade de uso de máscara, de distanciamento social, da higienização das mãos e objetos, de não participar de aglomerações. Praticar alguma atividade física também é importante para fortalecer o organismo e para beneficiar a saúde mental, além de observar os riscos de obesidade, que são uma das causas de complicação da Covid-19”, finaliza o Dr. Rafael.

Usamos cookies para analisar suas interações neste site e melhorar a sua experiência de navegação. Ao usar nosso site, entendemos que você está ciente da nossa Política de Privacidade e concorda com o uso de cookies.