Notícias UniAtenas - Paracatu (MG)

Coronavírus


No “Tá Ligado de hoje”, a Dra. Gabrielly Borges Machado, do curso de Medicina do UniAtenas, explica um pouco sobre o coronavírus. Confira abaixo mais sobre o tema.

Os coronavírus são uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19, após casos registrados na China. Ele provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

A partir de 01 de março de 2020, a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério de Saúde informou as definições operacionais para a saúde pública nacional. Entenda abaixo duas situações em que o paciente pode ser considerado um caso suspeito da doença do coronavírus 2019 (COVID-19):

- Situação 1: O paciente apresenta febre acompanhada de algum sinal ou sintoma respiratório como: tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais, entre outros. O paciente deverá ainda apresentar histórico de viagem para a área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

- Situação 2: O paciente apresenta febre acompanhada de algum sinal ou sintoma respiratório e histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus (COVID-19) nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

A infecção humana pelo coronavírus (COVID-19) é uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII Interna), tratando-se de um evento de saúde pública de notificação imediata.

A transmissão do vírus ocorre pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como: gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; contato com  superfícies ou objetos contaminados, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe, e ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas da doença.

Os principais sintomas conhecidos até o momento são: febre, tosse e dificuldade para respirar.

Não existe tratamento específico para infecções causadas pelo coronavírus humano. São indicados o repouso e o consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como o uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos) e o uso de umidificador no quarto.

É importante salientar que, assim que os primeiros sintomas surgirem, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento. 

Para prevenção, o Ministério da Saúde orienta alguns cuidados básicos:

• Lavar as mãos, frequentemente, com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

• Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

• Evitar contato próximo com pessoas doentes.

• Ficar em casa quando estiver doente.

• Cobrir a boca e  o nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogá-lo no lixo.

• Limpar e desinfetar  superfícies e objetos tocados com frequência.

• Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

É importante que todos adotem, de maneira disciplinada, esses cuidados de higienização e proteção, minimizando o risco de contração da doença e de disseminação do coronavírus.